segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Depressão

oh depressão
será você que desejo
que me iludo a fugir
e caminho para o abismo?
a solidão um alento
suprindo de sofrer
um autodeclarado vivente
pseudo de sí
sonhos corruptelas do real querer

Ou será a depressão
minha boca abrindo-se
para engolir o mundo
o demônio despertando
danando gracinhas e anjos
defecando platônicamente
numa ação gratuita
desprezo não intencional
desonesto ignorante
de desejos reprimidos?

oh derpressão
abre-se um abismo entre eu e realidade
a sincera mentira
da ficção recebendo de braços abertos
seu filho sem valor ou crença
iludido de ser feliz num egoísmo consciente
Contamine o mundo!
desgrace e questione
se leve e eleve todos ao miserável
da angústia
Um fim sem significado para um vida de incertezas
poetico ponto final de cada sensivel, livido e meigo
escarnio, fezes e sexo essenciais
Oh que alegria!