sábado, 26 de fevereiro de 2011

Escrevi uma coisa estranha

As palavras brotam do meu coração desesperado indo alem da sanidade que controla os pensamentos..insegura sem rumo caminhando em círculos irregulares.. lampejos de lucidez me mostram o caminho que me leva a você. Meu coração despedaçado aguardando o carinho da sua alma para remendá-lo. Incompletos, meus olhos choram sua ausência.. o que será de mim
nessa realidade sem seus abraços seguros nesse mundo sem a luz do seu sorriso. Virá a escuridão me abraçar novamente, retirando meus poucos suspiros de alegria..lembranças de você que nunca sairá de dentro de mim..sinto-me oca como um santo de barro sem vida, adorado por pessoas que nunca poderão preenche-lo. Será a solidão acompanhada que espera? Desespero real de alguém que existiu e se enterrou
enterrou com seus mortos. Capa alegre que almeja redenção. Surtos momentâneos, pânico noturno, existência efêmera de um corpo de marionete.


Autor: Aika Yuki