domingo, 6 de fevereiro de 2011

Carnificina Alegre

A solidão é maravilhosa para quem se odeia
Tanta dor me causo
Me torturo me culpo
Isolamento finaliza o corte da minha alma
Experimento quanto posso aguentar
O tempo que levo para o suicidio
ser mera formalidade
os versos que poderiam machucar devem ser guardados
sua escrita mediocridade
seus significados perdidos em risos de confusão
A ignorancia diminuindo qualquer significado
Reduzo ao tamanho do nada
Quero ser esquecido
Mas antes quero sofrer
Arder num fogo escultor
abrasar meu orgulho
Virar um chamuscado monte de bosta
cansado do treinamento
estou cada vez mais proximo do inferno
minha garganta se fecha
meu sangue engrossa
eu coração se endurece
Soldado nu no campo de batalha
Unica espada erguida de sangue