quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

De passagem

Tenho medo, medo de nada dar certo daqui pra frente
Toma conta da minha alma...
A vida tem sido muito difícil pra mim
Eu sinto que cresci
mas não consigo sentir isso de verdade no di-a-dia sem ti
Minha pele se arrepia em vertingens, vou desabar
Pegue a minha mão ou me abrace porque me sinto frágil e sem forças pra voar
Minto pra mim mesma que naun posso, grito ardente que naun dá
Preciso de um ombro amigo, alguém pra  me ajudar
Sei que não adianta lamentar por coisas que passaram
e nem me preocupar com o que tem por vir
Sinto lá no fundo otimismo no meu coração
Já refleti
Preciso de mim nessa,
preciso surreal quebrar tal corrente,
congelada descobrir novos rios
Libertar esse meu coração carente
Soltar eu que se enquadra, dizer para o mundo quem sou
E assim eu vou
Levando o abismo para passear
Procurando uma maneira de meus medos superar
Que venha um broto eu florescer novos mundos
vou conhecer

Evelin de Castro e André Peixoto