domingo, 30 de janeiro de 2011

Eve

Olá!
É agora!
Tenho certeza!
O que eu fiz?!
Você não fez nada... ainda!
Por que?
Não importa o porque... nem saber a causa pode impedir o efeito
Já foi posto em movimento
Desde o começo
Muito antes de qualquer escolha ser dada!
Oh my God!
Yo no compriendo
Compreensão é inútil quando se está diante de um todo degenerado....
Qualquer entendimento será das partes seccionadas, desmenbradas da máquina!
Só o que resta
Ya estoy entendiendo
Só o que virá num último lampejo...
É que somos olhos cegos...
Olhando estrelas que não mais existem...
Falando efêmeros num sonho...
Andando por ai, seja lá onde...
Para o indefinido e aquém.

Evelin de Castro e André Peixoto