segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Pensamentos sobre o amor que dói e a felicidade de um machucado que não vai desistir de ser

Há uma cura e talvez ela esteja mais próxima do que você imagina
Se alguém pode se desvencilhar desse veneno da mente é o próprio envenenado
Como? seguindo em frente e abrindo seu coração para o próximo poema apaixonado
Se acabar um livro dedique a si mesma
Sem pressa ou medo de decepção caminhe na direção da satisfação
Seja que direção for essa. Mesmo que eu não esteja nesse caminho
Quero que saiba que você é a cura!