segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Por um minuto


Foi meu pior
Já, defino cores além do vermelho
Me desculpo de tudos e nadas
No carinho brotou grito espiral
Mas respiro o fundo e de lá aceno
Surto passa,
deixa amizade e leva risos

Vivo, mesmo além
Onde é mais valoroso, eu
Não amanhã
Pesares ontem, também
Hoje.
Sinto o tecido
Agora. Perfume canelas
Posso sentir o Sol
Abro um olho
Frestinha esperança,
girando sem parar

Levanto minha xícara e brindo
só por esse minuto
Nesse minuto vou dar o meu melhor