segunda-feira, 27 de maio de 2013

Vem ser juntos


Calculista avalio perigo
Sua manipulação equipara a minha
Mas não sinto
INfeliz destino nos separa paralelos
Sorrio disparates loucos
Vazio
Alegres alelos da vida
em nadas diálogos contigo
Um domínio sem visão
da tempestade e monstros escondidos
Ergue sua vela pela brisa inconstante
que desse furacão singelo
ao mundo dentes-de-leão sem fim
Nem maior nem mais belo
Frios calores essenciais
encarando a besta das bestas
Destruição envolvente no mar do caos
Olhos desafio último da rainha camponesa
que do simples avilta a existencia
Sonhos pequenos e dourados
montados em dorso
Conscientes sobre a felicidade
Um do outro sempre:
Não se engane, desse não arranca pedaço
Os dois costas à costas
sinergia a eternidade


Manipulação e perigo não me afetam.
Só quero ser seu, não importa o que você quer
Só quer ser minha, não importando o que eu quero
Incondicional por egoísmo:
doidos são outros você sabe,
seu querer simples é o prêmio último e primeiro
Objetivo de toda inconstância,
nós queremos nos parar
um ao outro nos queremos nos parar
para sempre fugidios,
escondidos em nossos egos
queremos nos parar

e pelo momento um juntos e não mais só


Para Ingrit, por que se correr o bicho pega e se ficar....