quarta-feira, 22 de maio de 2013

Letras da Carne




Poesias tristes são bonitas
como um entalhe de faca pode ser
Nos atrai e causa repulsa de nós mesmos
Alguns abraçam o horror como algo natural
Passam a alimentar a fera
Tornando discípulo mais humano
Moldando seu vazio
no assombro do mundo
dando sentimentos de comer
e lágrimas para que desfrute
Crescendo seus olhos de sangue e palavras
Versando dores até o osso
Cortando pele, músculos e limites
Apenas para extravassar
o que dentro nos habita
Liberando a pressão da nossa vida
Expondo nossas artérias ao prazer do vento

Outros temem o mal e fogem
Se frustram incapazes
As lágrimas marcam a linha do sorriso
O corte precede o desenho destino
À ele segue sempre quente vermelho vida
Estamos nos esvaindo, sim.
Mas, vivos.