sábado, 9 de fevereiro de 2013


Passado é difícil quando só
Nas sombras seus pecados
Na janela seus sacrifícios
Do nascer à parede
abrimos mão de nós
e do que amamos
Mas solitários arrependidos
gritamos alto que não volta
Silenciosos oramos
pelo céu que jogamos fora
Encaramos escolhas feias
toda nuances sofrimento
Protagonistas do vazio
por dentro abafados
puro suor frustrante
Fortalezas sem coração
Apenas ansiedade ao vento
Leve minha felicidade!